cidades mais frias do mundo

Como é morar em uma das cidades mais frias do mundo?

As opções de intercâmbio universitário que tive não foram muitas: ou eu ia para Espanha ou Portugal ou Canadá. Escolhi essa última para treinar meu inglês – só não percebi na hora da minha escolha que Winnipeg é uma das cidades mais frias do mundo, chegando a ser tão fria quanto a superfície de Marte!

Foto tirada da janela do meu dormitório.

Ainda assim decidi ir para lá, pois a ideia inicial do meu intercâmbio eram três meses e não os nove que acabei ficando por lá (então inicialmente nem pensei que fosse enfrentar o inverno).

Tudo no Canadá é extremo quando se trata de temperaturas: o verão pode chegar a ter dias de mais de 30ºC com luz do dia das 3h até as 23h. Já o inverno possui algumas horas de luz, com o amanhecer às 8:30h e entardecer às 16:30h.

É por esses motivos que meu quarto, e a maioria dos locais na cidade possuem tanto ar condicionado quanto aquecedor. Um dos locais nos quais estudava no campus oferecia até café grátis. A maioria das construções também são construídas com isolamento potente. Além disso, a cidade é bem estruturada e possui várias passarelas fechadas e conexões chamadas skywalks entre as principais construções da cidade e o campus (com o tempo aprendi todos os atalhos mais secretos dentro do campus). Dessa forma, quando você precisa sair de casa fica pouco tempo de fato no frio. Ainda assim, é preciso sair muito bem preparado e agasalhado, porque os ônibus no inverno podem atrasar e é melhor nunca se arriscar nesse nível de frio que pode causar até queimaduras e hipotermia.

Devido a isso, aprendi a como me vestir para o inverno canadense. Casaco novo feito para clima extremo, blusa e meias térmicas, gorro por baixo do gorro do casaco, luvas, legging com interior fofinho, bota para gelo a prova d’água (usar calçados comuns é um risco que custou alguns literais riscos nas lentes dos meus óculos quando caí uma vez). Isso ocorreu, porque o gelo a temperaturas tão baixas “congela” e fica tão duro e liso quanto rocha. É por isso que as montanhas de neve que se formam apenas somem quando as temperaturas atingem 0ºC novamente. A cidade trabalha duro para tentar deixar as principais vias livres de gelo.

Com o tempo, por mais absurdo que pareça, você se acostuma sim com o frio. Após algumas semanas eu conseguia sair de jeans e não precisava mais usar luvas. Um truque de ouro era beber um café, chá ou chocolate quente para se sentir aquecido andando na rua. O desafio é não escorregar no gelo e derrubar tudo…

É importante mencionar que o inverno que eu enfrentei não foi dos mais frios. O máximo que presenciei foi -29ºC, mas não é incomum as temperaturas invernais chegarem aos -40ºC.

Mesmo com essas temperaturas mais “amenas” para um inverno de Winnipeg, sair de casa era um grande empenho dada a quantidade de vestimentas. Para ir em baladas, o jeito era vestido com legging, casacão em cima e criar a coragem para sair. Se o meio de transporte fosse carro, era preciso raspar o gelo dos vidros e ligar o automóvel muito antes do uso, ou nem desligá-lo. Até com um carro novo aconteceu de uma dia voltando da balada o carro não ligar de jeito nenhum. Ficamos uns quarenta minutos esperando o carro ligar.

Registros do meu dia mais em frio em Winnipeg, quando acordei ao som de uma tempestade de neve (segunda foto). Após a tempestade, o céu ficou azul…deu pra sentir o frio olhando para essa foto?

Sendo uma intercambista, eu aceitei o inverno de braços abertos e fui patinar no gelo à noite no rio congelado, assistir a uma partida de hockey e até comer brunch de inverno em um hotel luxuoso. 

Partida entre Manitoba Moose e Iowa Wild.

Este post sobre viver em uma das cidades mais frias do mundo faz parte do BEDA- Blog Everyday August para não perder nenhum post nos siga no instagram e a #BedaViajante

BEDA- Blog Everyday August

A Isabela tem 26 anos e é formada em Relações Internacionais. Já morou no Canadá e Alemanha, e é amante de café, história, estudar línguas e viajar.

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: