Os desafios de morar fora

Morar fora é fantástico! Uma experiência única e de muito crescimento. Porém, é inegável que tem diversos desafios! E é sobre os desafios de morar fora que vamos conversar hoje.

A organização pré viagem, seja para intercâmbio ou uma mudança maior, já é repleta de desgastes emocionais. Afinal, estamos falando de ansiedade, nervosismo, documentos, consulado, vistos, passagens, enfim, tudo o que precisa ser feito para deixar tudo pronto a tempo. Além das despedidas, inseguranças do futuro e dúvidas que podem acabar surgindo a respeito da decisão tomada. 

Saibam que tudo isso é normal! Sair para morar fora é uma grande mudança e gera impactos em todas as esferas da nossa vida. Eu costumo dizer que é como uma grande montanha russa, cheia de altos e baixos! 

Ao entrar no avião, tudo começa a se concretizar e a nossa mente pode ficar muito ambígua nesse momento. Um misto de alegria e medo, mas não se preocupe, vai melhorar!

A nova casa

Ao chegar no local, as ambiguidades permanecem. Ficamos muito empolgados com o mundo novo, com as possibilidades a nossa frente e os encantos de estar vivendo essa nova fase, que tanto sonhamos. Entretanto, ficamos com saudade de casa e por vezes, costumamos comparar nossa vida antiga com a nova, e isso pode não ser muito bom. Pense assim: “não é melhor, não é pior, é diferente”! Isso pode te ajudar, assim como me ajudou muito a enfrentar meus 3 intercâmbios.

O tempo vai passando, começamos a criar uma vida nesse lugar novo, fazemos amigos, criamos rotina e as coisas vão entrando no eixo. Aí vem a experiência de cada um! Afinal, o seu intercâmbio ou a mudança, depende de infinitos aspectos, mas, tende a ser fantástico, quando estamos abertos a viver todas essas novas possibilidades!

E vem chegando a parte da outra despedida e o coração novamente fica dividido e a mente entra em conflito. Afinal, criamos laços que vão se afastar, estamos empolgados em voltar e encontrar nossa família e amigos de casa, mas às vezes, não queremos voltar para a nossa vida anterior ou não queremos deixar para trás esse ciclo de agora. 

Voltamos para casa. Felizes, tristes, empolgados, perdidos… É diferente para cada um!

Dica: Se você esta nessa fase leia o post “frases para sobreviver o fim do intercâmbio” Frases para sobreviver a volta do intercâmbio

Essa parte foi de longe a pior para mim, em 2 dos 3 intercâmbios, pois eu não queria voltar, mas precisava. E, para ser sincera, tive muita dificuldade em me adaptar no Brasil de novo. Eu vivia com intercambistas para poder viver um pouquinho do mundo gringo, eu estava sempre com alguma viagem em mente para poder enfrentar os desafios do dia a dia pensando que logo embarcaria de novo.

Sabe, tudo fica bem, mas não é só maravilhas e é muito necessário conversar sobre isso!

A importância da terapia

Eu fiz terapia a distância durante o meu intercâmbio universitário (que foi o maior deles, de 6 meses) e foi muito importante! Além de ter voltado para o Brasil e obviamente manter a terapia com bastante constância, e foi isso que me ajudou muito a me readaptar!

Esse retorno foi muito difícil para minha mãe também. Afinal, ela dizia  “não sei por que te mandei para intercâmbio se você voltou pior”. Mas, na verdade, eu voltei muito melhor! Voltei sendo outra pessoa, uma versão evoluída, e essa adaptação que nós crescemos muito e quando voltamos vemos todos os amigos antigos e as coisas ao nosso redor permanecerem iguais e nós como os únicos diferentes, é muito desafiador. 

Vencendo os desafios de morar fora

Mas te digo, todos esses empecilhos foram pequenos, comparado às maravilhas que vivi ao morar fora! Por isso, se você tem esse sonho e você tem a resiliência para viver essas grandes emoções, vá!!! Embarque nessa jornada e descubra da sua maneira! Quem sabe você não passe por nenhuma dessas ambiguidades emocionais e, caso sim, agora já vai ter ouvido falar e conseguirá enfrentar com mais leveza!!

Este post faz parte do BEDA- Blog Everyday August 2021 para não perder nenhuma novidade nos siga no instagram e siga #BedaViajante

BEDA- Blog Everyday August

Psicóloga, responsável pelo apoio psicológico do Qualquer Latitude. Entrou no Qualquer Latitude para escrever sobre seu intercâmbio voluntário na Polônia e nunca mais parou! Depois disso vieram inúmeras histórias e viagens por Qualquer Latitude

%d blogueiros gostam disto: