Gravidez na Alemanha

Gravidez na Alemanha: O teste deu positivo! E agora?

Ter um filho em outro país é uma grande aventura. No post de hoje vou explicar um pouco de como funciona a gravidez na Alemanha:

O teste deu positivo! E agora?

A primeira coisa a se fazer depois de descobrir uma gravidez na Alemanha é ligar para a sua ginecologista para marcar uma consulta. Para agendar a consulta você já informa a secretária que está grávida e provavelmente ela já vai te perguntar quando foi a data da sua última menstruação para descobrir de quantas semana você está grávida. O cálculo é feito pelo primeiro dia da sua última menstruação e não pelo dia da concepção.

Consultas pré-natal

Primeira consulta – 8 semanas

A nossa primeira consulta demorou mais do que o planejado para acontecer porque a médica estava de férias. Chegando lá a recepcionista já me deu um copinho para o teste de urina que é feito ali mesmo. Fui ao banheiro e lá dentro tem uma portinha para você abrir e deixar o seu copinho. Nesse teste ela conferiu se eu realmente estava grávida, viu o pH da urina e se tinha leucócitos.

Depois ela me pesou, mediu minha pressão, perguntou se eu estava bem e eu disse que sim mas com enjoo. A medica também me deu uma sacola cheia de folders com várias informações e cupons de desconto. Fui para a sala de espera e ficamos ansiosos até sermos chamados.

Logo que entramos no consultório a médica já nos parabenizou, perguntou quais sintomas eu estava tendo, se eu tinha alguma dor, de quantos dias normalmente é o meu ciclo, quando foi a data da última menstruação (para calcular a data prevista do nascimento), se eu tinha alguma doença que ela deveria saber e começou a colocar todas essas informações no meu Mutterpass que é uma caderneta da gestante onde tem o resultado de todos os exames e informações das consultas. Você precisa sair sempre com ela porque se acontece alguma coisa os médicos já tem todas as informações sobre a sua gravidez na Alemanha.

Nessa primeira consulta ela fez um ultrassom transvaginal, tirou sangue para ver o meu tipo sanguíneo, hemoglobina, um teste geral de anticorpos para doenças comuns, teste de sarampo porque eu não tinha certeza se eu tinha as duas doses, clamídia, HIV, sífilis, parvovirose, citomegalovírus e toxoplasmose. O teste de citomegalovírus igG e Igm o meu plano de saúde não cobre, então paguei extra e foi 32€* no total.

Primeiro ultrassom

Na Alemanha quem faz o ultrassom de rotina é a própria médica. A primeira foi logo na primeira consulta e foi transvaginal porque o bebê ainda era bem pequeno, do tamanho de uma uva! Pedimos autorização para filmar e para a nossa alegria ela falou que não tinha problema, mas lembre-se de pedir autorização antes. Vimos o bebê, o coração batendo e ganhamos a primeira fotinho! Foi pura emoção!

Aqui tem 3 ultrassom básicos que são feitas para ver o tamanho do útero, da placenta, a quantidade do líquido amniótico, se o bebê cresceu, qual a posição que ele está e se o coração está batendo. Elas são feitas pela ginecologista durante a 8-12 semanas, 18-22 e 28-32 semanas. Além dessas a sua médica (o) pode fazer mais se ela achar necessário.

Primeiro Screening especializado – Morfológica entre a 12ª e 13ª semana

Esse exame não é obrigatório e por isso também tem custo extra. Aqui em Munique o valor do exame seria em torno de 250 euros*. Quando a médica perguntou se nós queríamos fazer esse exame ela também nos lembrou que o resultado poderia mexer muito com a nossa cabeça e coração, afinal, aqui na Alemanha o aborto é permitido até a 13ª semanas. Nós estávamos decididos que mesmo o bebê tivesse alguma síndrome nós não interromperíamos a gestação e por isso ela nos disse que o exame nem seria necessário. Então fizemos mesmo assim, porque queríamos nos preparar psicologicamente para qualquer resultado.

Durante o período de gestação que este exame pode ser feito nós estávamos no Brasil, o que no final foi ótimo porque pagamos bem mais barato e ainda pudemos comprar o vídeo do exame, algumas fotos e ouvimos o coração batendo pela primeira vez. Confesso que achei engraçado ter essa opção de comprar o vídeo e as fotos do exame. Mas, o que achei mais engraçado ainda, foi a opção de comprar uma impressão 3D do seu bebê.

Nesse exame a médica avaliou o desenvolvimento fetal, confirmou a idade gestacional, o sexo do bebê (nem sempre é assim na Alemanha), a translucência nucal, osso nasal e mais algumas coisas para calcular a possibilidade do bebê ter alguma síndrome. A Maia estava ótima, então saímos felizes do exame.
Obs: na Alemanha além do exame por imagem também é feito um exame de sangue que entra no cálculo para ver a possibilidade de o bebê ter alguma síndrome.

Segundo Screening especializado – Morfológica entre a 20ª e 22ª semana

Esse exame eu acabei fazendo aqui em Munique e o meu marido não pôde entrar comigo devido ao COVID-19. A minha sorte era que a minha ginecologista deu uma requisição para o exame, então o seguro saúde acabou pagando e nós não tivemos que pagar nada extra. O médico que fez o exame ficou bem impressionado com a qualidade das fotos e do primeiro screening feito no Brasil. Nesse exame foi avaliado o desenvolvimento fetal, a parte morfológica incluindo o coração, a quantidade de líquido amniótico, a posição e morfologia da placenta e os vasos maternos e fetais usando o Doppler.

Durante o exame eu estava bem plena assistindo a Maia em um telão até que o médico falou: “está vendo essa bolinha branca no coração? Ela não pertence a este lugar, mas não se preocupe que não é nada”. Já fiquei mega preocupada, depois que ele acabou o exame ele desenhou em um papel onde estava essa bolinha branca e falou que até hoje ninguém sabe o porque disso e que é mais conhecido como golf ball e que normalmente desaparece até o nascimento ou no máximo até o bebê completar um ano de vida. Eu nunca tinha ouvido falar nisso. Consultei médicos do Brasil para ter certeza que não era nada com que eu deveria me preocupar e realmente eles confirmaram o que o médico daqui havia falado.

Na Alemanha o médico tem que sempre informar o paciente tudo o que está fora do padrão, mesmo não sendo nada grave.

Outras consultas com a ginecologista durante a gravidez na Alemanha

A frequência das consultas aumenta conforme a evolução da gestação. Nos primeiros dois trimestres é a cada quatro semanas. No último trimestre é a cada duas semanas e no ultimo mês é uma vez por semana. Caso a gestação passe da data prevista do nascimento do bebê você passa a ter uma consulta a cada dois a três dias.

Em todas as consultas com a ginecologista eles me pesaram, viram a minha pressão, fizeram exame de toque e teste de urina para ver se eu estava com alguma infecção ou bactéria e para ver a quantidade de açúcar, proteína e valor do pH. 

Como foram as consultas:

  • 1ª e 2ª consulta – foi feito o ultrassom transvaginal
  • 3ª e 6ª consulta – a médica recomendou mais uma vez o exame de sangue para ver o citomegalovírus, anticorpos  e hemoglobina.
  • Na 6ª consulta também fiz o exame de diabetes gestacional que é feito um pouco diferente comparado ao Brasil. Quando eu fiz eu não precisei estar em jejum, apenas cheguei, tomei a água com glicose e depois de uma hora ela tirou sangue. Achei bem tranquilo fazer esse teste.
  • 7ª consulta – tomei mais uma dose da vacina de coqueluche que normalmente se toma a cada dez anos, mas aqui eles recomendam a gestante tomar uma dose extra para passar a proteção para o bebê. O marido e quem for ter mais contato com o bebê nos primeiros meses de vida deve verificar se passaram mais do que dez anos da ultima dose.
  • 9ª consulta – a medica fez um exame para ver se eu tinha a bactéria streptococcus e fiz pela primeira vez o CTG.
  • 10ª consulta – ela tirou sangue novamente para ver se eu tinha o citomegalovírus, verificar a minha hemoglobina e fiz mais uma vez o CTG.
  • 11ª consulta – mais um ultrassom para ver ser estava tudo bem porque nas próximas duas semanas ela vai estar de férias.
  • Depois passei a fazer o acompanhamento direito com o hospital em que eu iria parir. Cada hospital tem uma regra da frequência que você deve ir caso passe da data prevista. A minha gestação passou da data prevista então eu estava indo a cada dois dias fazer o CTG e ultrassom.

Descobrindo o sexo do bebê

Aqui na Alemanha os médicos só podem revelar o sexo do bebê após o primeiro trimestre da gestação, porque já passou o prazo limite para realizar um aborto. Normalmente o sexo é revelado durante a segunda ecografia pois aqui não é muito comum fazer o teste de sangue para descobrir a sexagem fetal.

Mais uma vez, nós tivemos sorte de estar no Brasil onde esse exame pode ser feito a partir da 8ª semana e obviamente acabamos fazendo por lá mesmo, mas quando voltamos e contamos para a médica que havíamos feito ela achou engraçado e meio maluco que eu tinha feito um teste de sangue “só” para saber o sexo do bebê.

Suplementos que tomei durante a gravidez na Alemanha

  • Ácido fólico para ajudar no desenvolvimento dos nervos do bebê – 6 semanas antes de parar com a pílula e vou tomar até eu parar de amamentar
  • Magnésio para melhorar as câimbras – a partir do 3/4 mês
  • Ferro para não ter anemia – a partir do 6/7 mês
  • Graviscon advance para azia

*Lembrando que não sou médica e isso foi apenas o que eu tomei. Consulte o seu médico antes de tomar qualquer tipo de suplemento!

Segurança no trabalho durante a gravidez na Alemanha

A médica também perguntou onde e com o que eu trabalhava porque aqui tem algumas profissões que dependendo da função você deve e tem o direito por lei de mudar de função ou também há profissões que você não pode mais trabalhar porque a mãe e o bebê podem correr algum tipo de risco. Um exemplo é professora de creche porque elas tem muito contato com crianças e podem pegar alguma doença que seja perigosas para o bebê.

O seu anjo da guarda durante a gestação e pós parto

Hebamme – parteira

Na Alemanha toda grávida tem direito em ter uma parteira paga pelo seguro saúde. Existem vários tipos de serviços que elas podem oferecer. Normalmente ela te acompanha durante toda a gestação e pós parto. É ela quem vai te explicar com mais calma os detalhes de todo o processo do parto, vai recomendar cursos preparatórios, tirar dúvidas, recomendar remédios homeopáticos ou receitas caseiras para melhorar os incômodos da gravidez.

Após o nascimento ela vai acompanhar o peso do bebê, vai tratar do umbigo, cuidar dos pontos e do sangramento do pós-parto, ajudar na amamentação, ensina a dar banho, alguns exercícios para o pós parto e várias outras coisas.

Também existe a possibilidade dessa mesma hebamme fazer o seu parto mas, para isso, você precisa ver com o hospital que você escolheu se essa hebamme está registrada nele. No nosso caso a hebamme que fez o parto foi a que estava de plantão no hospital e a que vem aqui em casa é outra.

Durante o período expulsivo, além da hebamme um médico também estará presente na sala de parto. Aqui além do hospital também há a possibilidade da mulher escolher ter o parto na sua própria casa ou em casas de parto (Geburtshaus).

Como achar uma hebamme

Conseguir uma hebamme não é uma missão tão simples. Assim que você descobrir que está grávida já comece a procurar uma. Mandamos e-mail para várias parteiras nos apresentando, falando a data prevista para o nascimento e perguntando se ela estaria disponível para nos acompanhar.

Depois de alguns dias tivemos retorno de apenas duas. Uma foi bem grossa no telefone, então já recusamos o serviço e a outra foi mais simpática! Marcamos uma primeira conversa na nossa casa onde acabamos assinando um contrato para o acompanhamento da gestação e do pós parto. Eu recomendo você ter uma. Foi ótimo ter alguém para tirar todas as dúvidas e principalmente porque ela veio durante uma semana todos os dias na minha casa para me ajudar com a amamentação, tirar todas as dúvidas que aparecem quando você tem um bebê em casa e principalmente ouvir de alguém que está tudo bem e que estamos fazendo tudo certo.

Uma dica para quem é de Munique e está procurando uma hebamme é esse site do Bayerischer Hebammen Verband (Federação das Parteiras da Bavaria): http://www.bhlv.de/de/hebammensuche/

Se você gostou deste post contando um pouco sobre como funciona a gravidez na Alemanha leia também:

Grávida na Alemanha: Estar grávida é realmente uma viagem

Foto por: Camylla Ramos @fotografabrasileiraemmunique

Juliana é brasileira com descendência árabe e portuguesa. Casada com um alemão, vive em Munique. Esse misto de culturas a transformou na mulher que é hoje. Intensa, sensível, família, alegre, comunicativa, prática e determinada. Ama viajar e se emocionar com a energia de cada lugar e pessoa. Foi durante a sua viagem de intercâmbio que começou a escrever um diário e então percebeu que a escrita era uma ótima maneira de se expressar, de se curar e de registrar momentos. Instagram @julianatorresberg

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × quatro =

%d blogueiros gostam disto: