destinos para quem ama café

Destinos para quem ama café

Sou apaixonada por café! Para você que está lendo ter uma ideia, eu sou dessas pessoas que viaja com moedor de café e coador na mala (já até fui parada por causa disso em aeroportos…).Apesar de viajar com esse equipamento, sempre tento visitar o maior número de cafeterias possível, principalmente em destinos para quem ama café. Considerando também, que devido a restrições de importação, é muito difícil encontrar cafés de outros países no Brasil, sempre que vou para o exterior tento provar mais desses café!

Minhas experiências com o café no começo eram o clássico Starbucks. Mas, durante o meu intercâmbio universitário para Winnipeg no Canadá em 2016, aproveitei mais os cafés especiais. E, a partir daí, comecei a frequentar mais cafeterias da terceira onda (essas cafeterias de café especial super focadas no café, consideradas muitas vezes como uma coisa bem “hipster”) e pensar em viagens incluindo mais destinos para quem ama café.

Algo muito interessante que percebi no Canadá, principalmente na universidade que eu frequentei, era a preocupação em servir um café ético e sustentável. Por exemplo: se eu levasse minha própria caneca para pegar café, eu ganhava um desconto. Os produtos vendidos nas cafeterias da universidade também eram em sua maioria Fair Trade, ou seja, justo para o cliente e para o comerciante e com preocupação com a sustentabilidade e, na própria universidade, havia uma cafeteria com foco só em café em outra área do campus.

Destinos para quem ama café na Europa:

No ano seguinte, tive a oportunidade de ir para alguns países da Europa, já pensando em destinos de viagens para quem ama café! Uma descoberta desta viagem foi a cidade portuária de Hamburgo, que é praticamente uma meca do café. Parte significativa do café do mundo passa por ali! O lugar tem até importância na história do café aqui do Brasil, com muitas pessoas de Hamburgo tendo investido no nosso setor cafeeiro nos séculos passados.

Um destaque nessa cidade foi o museu do café (Burg Kaffeerösterei). Além de funcionar como museu e loja, o lugar é uma cafeteria que faz um dos melhores cafés que já provei (inclusive voltei lá algumas vezes). Em Hamburgo você facilmente encontra diversas cafeterias super charmosas servindo cafés maravilhosos.

Outro destaque dessa minha viagem para a Europa é em uma cidade próxima a Hamburgo, mas não na Alemanha. É a cidade de Copenhagen – que me surpreendeu com a qualidade dos cafés (minha cafeteria favorita lá se chama Coffee Collective).

Minha viagem seguinte para fora do Brasil foi em 2019, e eu cheguei a montar alguns roteiros baseados no café. Durante minha estadia na Itália, pude conhecer o Starbucks Reserve em Milão – uma versão melhorada e mais requintada do Starbucks, com diversas exclusividades e uma infinidade de opções de cafés.

Devo dizer, no entanto, que apesar da Itália ser conhecida como um país do café, é na realidade, bem fácil beber cafés ruins por lá! Muitas vezes eu acabei comendo um brioche com Nutella acompanhado de um Espresso nessas cafeterias tradicionais de bairro. Sinto que a tradição do café especial ainda está crescendo nesse país, e que há um costume muito forte de se beber café, mas de uma forma mais tradicional e simples.

O Starbucks Reserve em Milão fica em um prédio histórico muito perto da famosa Duomo.

Nesse meu segundo tour pela Europa, o lugar que mais me surpreendeu foi a Romênia! É um paraíso para os amantes de café. Até em cidades bem pequenas é possível encontrar cafeterias ótimas e descoladas. O gosto dos romenos pelo café é tanto, que na capital Bucareste existe um guia de cafeterias e torrefações.

É difícil escolher apenas uma cafeteria para ser meu destaque na Romênia, mas escolho a Dianei 4 por ser a mais “diferentona” que eu já vi. Ela fica em uma casa escondida e antiga, toda decadente. Os donos abraçaram essa decadência, e o lugar ficou extremamente charmoso e com um ar de história. A construção já chegou a ser um quartel-general da inteligência do governo romeno durante o período comunista no país.

Meus próximos destinos da roadtrip foram Grécia e Albânia. Nessa região é muito comum tomar o Café Turco. Na realidade, esse café tem um nome diferente em cada país. Na Turquia é Café Turco, na Grécia Café Grego e assim vai…Esse Café é um dos preparos de café mais antigos no mundo! Ele foi inventado pelos turcos, mas meu guia na Albânia me contou que o café foi criado na Albânia durante a dominação turca. Se é verdade não sei, mas achei interessante a possibilidade! Ah, e na Grécia não se bebe só Café Grego, são muito comuns o Frappé e Espresso Freddo (cafés gelados). Também há cafeterias servindo os cafés mais “comuns” como Cappuccinos e Filtrados.

Já a Albânia possui uma forte cultura de consumo de café, mas de uma forma diferente. O que notei na capital Tirana é que a cidade fica meio vazia até uma certa hora da tarde. Quando o final do dia vai se aproximando, parece que todas as pessoas saem para as ruas e vão para as cafeterias. Essas cafeterias são mais tradicionais, e não servem um café muito diferenciado. Além disso, são muito frequentadas por homens – uma herança da cultura muçulmana. Me falaram que não seria um problema eu como mulher ir para um desses lugares, mas que talvez recebesse um olhar estranho. Acabei não visitando nenhuma, e optei por ir sempre em uma linda rede de cafés especiais chamada Mulliri Vjeter.

O que fica de lição de tudo isso que eu contei, é que as cafeterias nos permitem ter acesso a uma janela no cotidiano dos moradores de um país, e nelas é possível bater papo com os locais e aprender mais sobre a cultura. Então se você puder, faça isso!

Gostou destes destinos para quem ama café? Escute o nosso podcast temático “o cafezinho que não é só brasileiro” para aprender mais sobre esta bebida e sua importância cultural

A Isabela tem 26 anos e é formada em Relações Internacionais. Já morou no Canadá e Alemanha, e é amante de café, história, estudar línguas e viajar.

%d blogueiros gostam disto: