Psicologia sem fronteiras

Psicologia sem fronteiras

O post de hoje é para te contar sobre as delicias e os desafios de trabalhar como psicóloga 100% online, exercendo essa psicologia sem fronteiras.

Desde o início da pandemia, parei de atender presencialmente no consultório e coloquei todos os esforços no meu escritório de Home Office, o que me trouxe pacientes de todos os lugares do mundo e uma visão da psicologia incrível. Esta mudança fez com que eu me sentisse ainda mais feliz com a profissão, afinal, vocês já me conhecem de outros posts de viagens por aqui e sabem o quanto essa flexibilidade de trabalho me faz feliz!

Hoje em dia, trabalho com a psicologia positiva (a ciência do bem estar e da felicidade) em conjunto com a TCC (terapia cognitivo comportamental), atendendo pacientes com diversas demandas clínicas. Também tenho um grande foco no atendimento psicológico para brasileiros que moram fora do país e também sou mentora e palestrante.

Mas o que de fato é essa psicologia sem fronteiras?

Psicologia sem fronteiras é a liberdade que o CFP (Conselho Federal de Psicologia) deu para que pudéssemos realizar sessões de psicoterapia online. Esta mudança possibilitou o atendimento de muitas pessoas que antes não fariam terapia por conta da distância, do trânsito, da falta de profissionais na cidade ou até mesmo no país. É claro, tudo é regulamentado e precisamos ter um cadastro no E-Psi.

Porém, ainda existem fronteiras em relação ao local onde o psicólogo está atuando. Afinal, só podemos trabalhar na área do nosso CRP (Conselho Regional de Psicologia), ou seja, no estado que fizemos o credenciamento. Há uma liberação para que possamos trabalhar fora dessa área, porém apenas por 30 dias no ano!!

Acredito que isso será revisado pelo CFP, mas era a forma que eles tinham antes para tentar controlar a qualidade dos atendimentos e a postura profissional.

Como funciona ser psicóloga em outros países

Atuar fora do país, acaba sendo ainda mais desafiador. Para exercer a profissão no exterior, o primeiro passo é entender como funciona no local. escolhido Na maioria dos casos, é necessário fazer um mestrado (pois na Europa por exemplo, a faculdade de psicologia tem duração de 3 anos e 2 de mestrado que são obrigatórios, e só depois que eles podem atuar. Já no Brasil são 5 anos de faculdade e sem a necessidade de um mestrado). Alguns países você precisa validar o diploma, outros precisa da comprovação de 5 anos de prática no Brasil e depois só criar o cadastro no país, em outros precisa de fluência no idioma nativo e por aí vai.

Um psicólogo, pode ser um nômade digital?

Um psicólogo não pode ser um nômade digital (só se for um nômade pelo seu estado). E, independente da área de atuação, o psicólogo precisa do CRP para exercer a profissão e por ser estadual, se for se mudar, precisa estar regulamentado nas leis do local.

Mas mesmo com essas partes mais delicadas, só o fato de eu poder atender pacientes de outras regiões do Brasil e do mundo, podendo viajar através deles, sem sair de casa, já me faz ser muito grata pela minha profissão e por poder auxiliar pessoas, independente de onde elas estiverem e levar a psicologia muito mais além!

Quer saber mais sobre a vida de viajante e diferentes profissões? Nos siga no Instagram

Você também pode gostar de:

Mercado de trabalho europeu para brasileiros
Operação trabalho na Alemanha

Psicóloga, responsável pelo apoio psicológico do Qualquer Latitude. Entrou no Qualquer Latitude para escrever sobre seu intercâmbio voluntário na Polônia e nunca mais parou! Depois disso vieram inúmeras histórias e viagens por Qualquer Latitude

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: