mestrado no exterior

Dicas para se candidatar a um mestrado no exterior

Muitas pessoas sentem um misto de alívio e empolgação ao se formarem na faculdade, outras mal podem esperar para continuar seus estudos e desejam fazer isso em outro país. No entanto a inscrição (application) para um programa de mestrado no exterior ocorre de forma diferente e, por ser um processo complexo, irei dar algumas dicas para facilitar a sua candidatura e deixar todo o processo mais tranquilo.

Dia da minha formatura em Relações Internacionais – já pensando em fazer mestrado no exterior.

COMEÇANDO A PLANEJAR UM MESTRADO NO EXTERIOR

Antes de tudo, abra as páginas de todos os programas de mestrado que lhe interessam e anote em um caderno ou no seu computador as datas limites para as inscrições. Faça também um checklist com toda a documentação necessária. A dica mais importante para uma candidatura de sucesso é a organização.

RECOMMENDATION LETTER

Essa carta nada mais é uma carta de algum empregador seu, professor, ou outra pessoa com a qual você tenha estudado ou trabalhado (e que tenha sido sua superior). Essa carta é uma forma da equipe de avaliadores dos mestrados terem uma garantia que você é de fato dedicado e qualificado para entrar em determinado curso. Nessa carta, geralmente são descrevidas algumas de suas atividades, momentos exemplares, qualidades boas, etc.

Comumente, as candidaturas exigem duas cartas em uma das línguas do mestrado ou em inglês. Também é necessário (na maioria dos casos) que haja uma assinatura de quem escreveu e/ou um carimbo oficial e seu contato. Ainda pode ocorrer de você mesmo ter que escrever a carta e enviá-la para quem será sua referência conferir e assinar.

Atenção: essa carta não deve ser escrita por um familiar ou amigo.

CURRÍCULO (CV)

O currículo deve preferencialmente estar em algum formato oficial. No caso da Europa, geralmente é pedido um currículo no formato Europass (basta fazer cadastro nesse site da União Europeia e construir seu currículo). Com relação às informações presentes no seu currículo, escolha adicionar apenas aquelas de fato relevantes para o mestrado como sua formação, experiência profissional em uma área relacionada, qualquer trabalho voluntário que você tenha feito, cursos e certificados que você possui, atividades como mentoria, artigos escritos e apresentados em eventos ou congressos, as línguas que você fala, etc. É importante que o currículo contenha essas informações sem que ele seja muito extenso. Procure colocar uma foto sua que pareça mais profissional.

MOTIVATION LETTER

Esse documento é como se fosse uma entrevista: você deve convencer o time de admissões a lhe dar um lugar no programa de mestrado. Então você deve escrever (preferencialmente em até uma página, recomendo fonte Arial tamanho 12 com espaço duplo) o que lhe destaca em relação aos outros candidatos e por que você deve ser escolhido para participar do programa. Conte sobres suas motivações pessoais, fale mais detalhadamente sobre sua experiência profissional na área (mas não repita todo o seu currículo), conte sobre suas habilidades com línguas, seus pontos fortes (sem exagerar) e como você atua bem em ambientes multiculturais. Além disso, diga por que você escolheu tal programa de mestrado e/ou tal universidade(s). Por que você escolheu estudar em determinado país e se já visitou esse lugar ou morou lá antes.

A carta de motivação não deve ser “robótica”: é legal ler exemplos na internet, porém certifique-se de colocar sua personalidade na carta de forma discreta. É com essa carta que você tem a oportunidade de mostrar quem é e de se diferenciar dos outros candidatos. Quem lê essas cartas já leu centenas se não milhares delas. Daí a importância de se diferenciar.

HISTÓRICO ACADÊMICO E DIPLOMA

É preciso traduzir esses documentos por meio de um tradutor juramentado para a sua application. Em alguns casos ainda é preciso apostilar esses documentos (operação realizada nos cartórios e que pode demorar, então cuidado com isso).

Há programas que pedem apenas o seu histórico do ensino superior, enquanto outros pedem o do ensino médio também.

A nota é um fator muito importante para a decisão tomada pelo comitê que avalia as candidaturas. É comum haver uma lista de fatores e o peso que eles possuem na decisão final.

Quaisquer outros certificados que você possua que não estejam em inglês ou na língua do programa de mestrado também devem ser traduzidos.

PROFICIÊNCIA EM OUTRAS LÍNGUAS

É comum que, para entrar em um mestrado (aqui e no exterior), você tenha ao menos um nível B1 de proficiência em duas ou mais línguas, sendo comum a exigência de nível C1 ou C2 (fluente). Para comprovar a sua fluência, é necessário realizar provas como TOEFL, Goethe Zertifikat, DELF, etc. e apresentar esse certificado na sua application.

Observação: procure nos pré-requisitos quais são as notas específicas em cada sessão dos testes e também confira se o português conta como língua estrangeira ou não (por ser a língua materna).

Provas à distância: durante o momento em que vivemos há provas que foram adiadas e outras que podem ser feitas em casa (meu caso com o TOEFL ibt). Para as provas que ainda são realizadas de forma presencial, há listas grandes de espera e datas distantes. É comum uma data ter as vagas esgotadas em questão de horas – por esse motivo é preciso marcar com bastante antecedência.

DOCUMENTO DE APLICAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO

O documento de inscrição fica disponível no site do programa de mestrado. Geralmente é necessário fazer um cadastro e então você terá acesso a uma página na qual irá se candidatar. Aqui vai uma dica importante: uma das primeiras coisas que você deve fazer na sua jornada de tentar um mestrado no exterior é fazer esse cadastro e conferir na página de inscrição tudo o que é pedido, pois muitas vezes há documentos extras, tamanhos limitados para os arquivos (já tive que converter todos os meus….), perguntas surpresas (no meu caso foi “Você se considera uma pessoa culturalmente sensível? Explique”). Em certos casos também é preciso copiar a sua motivation letter e colá-la em um campo na página de inscrição.

BOLSAS DE ESTUDO PARA MESTRADO NO EXTERIOR

Irei falar sobre essa questão tendo como base bolsas de estudo na Europa. Para se aplicar para uma bolsa você precisará se atentar às datas, pois as datas limites para o envio de inscrições para bolsa são bem antes das para quem irá se aplicar sem bolsa.

Muitas vezes também é pedido recommendation e motivation letters específicas para a bolsa, assim como testes de proficiência em alguma língua (na Alemanha, mesmo que a maioria dos mestrados seja lecionada em inglês, para uma bolsa é necessário ter alemão nível B1-B2). Existem bolsas que também exigem determinadas características do candidato como engajamento político, ambiental, ou até praticar alguma religião específica.

Alguns sites/bolsas muito bacanas na Europa para você dar uma olhada são os programas Erasmus Mundus Joint Masters Degrees (nos quais você cursa cada semestre em um país diferente) e o DAAD (site da Alemanha com bolsas para lá – esse é um dos países europeus com a maior oferta de bolsas, além de ter bolsas que cobrem muitos gastos).

VISTO

Para participar de um programa de mestrado no exterior é necessário ter visto de estudante para o país em questão. Infelizmente não posso falar muito sobre essa etapa da candidatura, porque tenho cidadania italiana e não precisei me aplicar para um visto. No entanto, irei dar algumas dicas tendo como base outros vistos que já tirei em minha vida (que vão de estudante a procura de emprego).

Inicie o processo de retirada de visto com muita antecedência. Essa deve ser a primeira coisa a ser feita, pois vistos podem ficar prontos em uma semana ou em até três meses (caso meu com visto de estudante para o Canadá). Certifique-se de ter toda a documentação traduzida de forma juramentada e apostilada se necessário.

Se você tem medo de realizar todo o processo sozinho, há empresas ou pessoas que trabalham com isso e fornecem consultoria. Eu mesma fiz todos os processos para meus vistos até hoje incluindo minha cidadania (e todos deram certo). É apenas necessário ler muito bem as instruções, certificar-se que todos os documentos estão em ordem e revisar tudo com cuidado. Caso você não tenha entendido alguma coisa, não hesite em pedir ajuda para alguém – pois alguns erros podem atrasar ou cancelar o seu pedido de visto.

Se atente durante sua inscrição para o programa de mestrado em qual categoria você se encaixa para concorrer à bolsa. Digo isso, porque você provavelmente terá que escolher qual opção é o seu caso se a bolsa for também para estrangeiros. Se você possuir cidadania dupla (brasileira e europeia no caso da Europa) você pode em certos casos escolher com qual se aplicar e em outros casos é considerado automaticamente como brasileiro. Mesmo que seja possível escolher, eu recomendo que você se inscreva como brasileiro (pois há mais chances assim).

Alguns outros posts que podem te ajudar: Como tirar visto de estudante França e Como tirar visto de estudante e de trabalho Estado Unidos

MENSALIDADE DE UM MESTRADO NO EXTERIOR

Novamente irei focar na Europa e também irei falar um pouco sobre o Canadá. No continente europeu, existem universidades públicas e privadas. As públicas comumente não têm uma mensalidade para mestrado, apenas uma taxa semestral para manutenção da instituição, etc. No entanto, existem universidades públicas cujos programas de mestrado (ou certos programas de mestrado) possuem mensalidade.

Atenção: a existência da mensalidade também pode variar; há universidades que apenas isentam os cidadãos europeus. Ou seja, os estrangeiros precisam pagar mensalidade ou pagar mais por ela. Esse é o caso do Canadá, onde estrangeiros costumam pagar mensalidades e taxas muito mais altos do que os estudantes locais.

Um post que pode te ajudar: Custo de vida na Alemanha

————

Essas são as minhas dicas e espero que elas ajudem durante a sua candidatura!

A Isabela tem 25 anos e é formada em Relações Internacionais. Já morou no Canadá e Alemanha, e é amante de café, história, estudar línguas e viajar.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: