De Belo Horizonte para São Paulo

De Carro pelo Brasil – De Belo Horizonte para São Paulo

Seguindo a minha viagem de carro pelo Brasil, desta vez o objetivo era ir Belo Horizonte para São Paulo de carro de carro. Dirigi 7 horas , dentro das quais fizemos 2 paradas para chegarmos em São Paulo. Uma delas para esticar as pernas, e a outra para almoçar.

No almoço, errei no fácil. Parei para comer no Graal. Para quem não conhece, é uma rede de postos com preços absurdos, mas eles tem convênio com os ônibus, então para quem viaja de ônibus, é comer lá ou não comer. Como um bom tolo, vi um lugar com muito movimento e parei lá. Minha dica; não façam o mesmo que eu! Parem em lugares com muitos CAMINHÕES, não ônibus.

Como é a estrada entre Belo Horizonte e São Paulo de carro?

Ir de Belo Horizonte para São Paulo de carro é tranquilo. A estrada é bem amigável. Todo trecho estava pelo menos duplicada, e o preço dos pedágios foi de 24,20* reais. Mais perto de São Paulo, começam a aparecer morros com muitas curvas.

Para quem não tem muito estômago pode ser um pouco chato, para quem gosta de apreciar uma vista é lindo, e para quem procura alguma dica, eu evitaria a estrada de noite. Com suas curvas e alto movimento de ônibus, à noite pode se tornar um pedaço desagradável de se passar.

Segunda Parada da viagem de carro pelo Brasil: São Paulo

Em São Paulo cheguei cansado. Parecia que quanto mais perto eu chegava, maiores ficavam as placas de retorno. Estava animado para uma nova experiência e triste por deixar para trás a anterior. Acho que as chegada sempre serão fáceis, e as despedidas sofridas.

Na capital paulista me hospedei na casa da Fernanda, professora de português e amiga minha. Em meu primeiro dia trabalhei enquanto Celina foi conhecer o Shopping Pátio Higienópolis com meus amigos – boatos que lá ela fez cocô.

Celina com Bruno, Roque e Stella no Shopping

Escalada em Sampa

Na terça conheci a Casa De Pedra em Perdizes. A maior academia de via de São Paulo. Lugar maravilhoso, porém caro em comparação a outras cidades (60 durante a semana, 80 final de semana/feriado fora o aluguel da sapatilha e cadeirinha e os 20 reais que gastei de estacionamento). Repleto de vías e bolders, a academia é incrível e cheia de gente solicita, como todo local de escalada. No entanto, caso vá com um cachorro, ele/a terá que ficar na área do café, em um andar abaixo de onde fica a escalada.

Também conheci a Fábrica de Escalada da Chácara. Uma academia maravilhosa de bolder. Sai de lá com amigos, vontade de escalar mais, e muito feliz de ter conhecido o lugar. O preço também foi de 60, mas não tinha estacionamento e fui recebido com uma bolinha, potinho de água e corda para amarrar a Celina caso precisasse (precisou). Ela latiu um pouco, mas logo se acalmou e pude escalar com ambos de nós em paz.

Estadia

Quinta saímos da casa da minha amiga aonde estávamos hospedados e fomos para um conjunto de flats (Bela Cintra Flat Services) que cobrava tudo separado, até mesmo cobertor. Lá tinha um custo extra para pet e o Wi-fi era tão ruim que na sexta, quando tive que trabalhar, optei por rotear meu 3G e trabalhar a partir dele. A cama era péssima, do mesmo jeito que o travesseiro, mas pelo menos o chuveiro era quente, por mais que não fosse muito limpo. A televisão ligava sozinha e era praticamente impossível de desligar. Apesar de tudo isso, sua localização era ótima, e tinha vaga de garagem. Dois fatores importantes que me aliviaram e permitiram com que no feriado de Tiradentes – quinta – fosse almoçar à pé com a Celina tranquilo.

Conhecendo os arredores

Cheguei ali do lado até o Parque Bruno Covas, que estava cheio e la me abanou uma amiga de Brasília que disse ter reconhecido a Celina e gritado para chamar minha atenção. Segui ela e encontrei mais gente conhecida conversando em uma canga no parque. O parque estava cheio de animais, crianças, famílias, pessoas tomando sol, tudo o possível.

À noite fomos para o bar Tomás Uma Bar, aonde a Celina foi super bem tratada.

Por alí também conheci o UP Cozinha&Bar, um restaurante com 3 andares cheio de decoração brega no melhor dos sentidos. O local foi adorável e a experiência também. Fui para lá depois de ver um filme no Espaço Itaú da Augusta, e por isso estava sem a Celina, mas nesse lugar não teriam aceitado ela.

Aviso para quem vai de carro para SP

Todo estacionamento é caro. Não tem lugar bom para deixar o carro. Além disso, tem que ficar de olho no rodízio! Quem for de SP vai te falar que ir para lá e não levar uma multa pra casa de brinde é o mesmo que não ir pra lá! Eu mesmo espero não ter essa surpresa.

Próxima parada: Curitiba

Sábado acordei de manhã feliz com tudo o que vivi e extremamente animado pro próximo passo, Curitiba.

*Valores de 2022

Nômade Digital viajando de carro pelo Brasil, escalando e trilhando sempre que possível no caminho com a minha cadela Celina, uma Samoieda de 1 ano. Levo meu escritório no carro e trabalho como programador Java/Kotlin. @giordanome

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito − quatro =

%d blogueiros gostam disto: